Terça-feira, 17 de Março de 2009

será?

A minha escola foi hoje visitada pelo Sr Director Regional de Educação. Como vos disse há tempos, o agrupamento de escolas de Sto Onofre anda nas bocas do mundo - e do Público - por ter escolhido um modelo de contestação que começou muito antes da educação vir parar aos jornais. E tudo começou, não o esqueçamos, porque um discreto e cônscio Conselho Pedagógico lia o que ia sendo publicado e reflectia respeitosamente e com ponderação sobre tudo isso. A nossa resistência nasce firme da certeza de que, simplesmente, sabemos que sabemos trabalhar. Sabemos trabalhar e sabemos atingir propósitos ambiciosos de sucesso escolar.

Será que este pessoal da DREL que, pelo que sei, lê os melhores blogs - pois se hoje em dia até os ministros comentam e vivem os blogs, por mais mínimos que sejam - será que a DREL acredita mesmo que esta escola se tinha obstinado em não avançar com o sistema de gestão (indissoluvelmente ligado ao processo de avaliação, por mais que arenguem o contrário) apenas porque não? Que tudo isto era uma soma de arrivistas (todos juntos agora:) "manipulados pelos sindicatos e partidos da oposição", com o objectivo cúpido de não ser avaliada?

Acreditarão, estas pessoas de bem evidentemente, que o que fazemos é coisa adolescente, produto de rebeldias juvenis tardias e deslocadas por resolver ou ciúmes de não termos estado no Maio de 68, ou na comuna de Paris?

Terão eles finalmente compreendido que esta é uma escola que funciona e que funciona melhor em liberdade responsável e que é uma escola que tem dado mais do que provas da sua capacidade, ao longo de demasiados anos para achar que tudo é fruto de uma soma feliz de acasos?

Terão estas pessoas a visão de perceber que o que têm aqui é algo que foi durante demasiados anos considerado um exemplo de competência e inovação?

Desconhecerão eles que ela tem uma história de vanguarda que a levou a ser visitada por tantos e tantos colegas que, em gesto de pura competência aqui se deslocavam para saber in loco como fazia esta escola para resolver (tantos) problemas comuns?

Será, finalmente que não percebem que, no momento em que nos digam que façamos uma avaliação, nós a saberemos fazer e bem mais objectiva e eficiente do que alguma vez alguém, por controle remoto, julga poder estender - incrivelmente - a todos os contextos escolares de um país. Um mesmíssimo modelo docimológico para todos os contextos num país em que - veja-se a leviana incongruência - até se defende que deva ter dois sistemas de colocação de professores, um em escolas TEIP e o resto.

O lema da nossa escola foi e sempre será "saber aprender". Espero que tenham retirado da sua curial presença hoje na escola alguma da nossa profissional e exigente humildade.

Desejo ver a forma criativa como esta equipa da DREL ignorará aquilo que aqui teve oportunidade de aprender.

Sexta-feira às 10h, a Isabel volta aos ensaios do coro. Hoje estava um bocadinho adoentada.
O chá das terças hoje estava excelente.

É um orgulho testemunhar esta escola neste momento.
publicado por Rui Correia às 23:24
link deste artigo | comentar | favorito
3 comentários:
De Rui a 20 de Março de 2009 às 00:23
Com ar condicionado, evidentemente.
De Rui a 20 de Março de 2009 às 00:23
Isabel, não quero frustrar o teu projecto, mas, com honestidade, creio que já alguém antes de ti teve essa ideia. Eles lá estão quase todos. Em monobloco.
De isabel a 19 de Março de 2009 às 19:11

Sabes o que me apetece? Fechar o pessoal todo do ME num monobloco!
Autonomia das escolas. Isso sim. E cada vez há menos.

Comentar post

pesquisa

 

arquivo

nós

Dezembro 2012

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
31

t&d
t&d