Sábado, 16 de Maio de 2009

internépcia

Depois de ler o artigo que a seguir aqui republico só me ocorreu perguntar: será que um adepto da Internet tornar-se-á um internepto? Dados recolhidos pelo Ricardo Castanheira, jornalista do OJE, ajudam a responder à minha questão.

"Na mesma semana em que ficámos a saber que o Partido Socialista contratou a empresa que definiu a estratégia multimédia para Barack Obama, designadamente a presença do mesmo na internet e nas redes sociais, fazendo dele um fenómeno; a Microsoft apresentou publicamente um estudo sobre os hábitos dos internautas em que vale a pena atentar.

Desta análise comportamental convirá destacar alguns números impressionantes relativamente aos internautas portugueses: três em cada quatro (76%) estão sempre ligados à internet e um quinto (19%) passa mais de 5 horas diárias online, quando - para se ter ideia da diferença - 1 em cada 4 utilizadores da Internet na Europa passa entre 7 e 15 horas online por semana. Acresce, que 14% dos internautas portugueses se liga à Web mais do que duas vezes por dia e 22% passa 1 a 2 horas durante uma sessão normal na net; 37% dos utilizadores visita mais de 10 sites durante uma sessão normal e um quarto dos inquiridos acede entre 5 a 6 sites.

Este estudo confirma apenas aquilo que para muitos de nós é uma evidência: a internet revolucionou hábitos sociais, modelos económicos e comportamentos políticos.

Se acrescentarmos, ainda, o facto de os portugueses serem, de entre os europeus, os que mais se comunicam por mensagens instantâneas (23%), assim como se prevê que em Junho de 2010 o tempo dispendido na internet suplante o de TV, implicando uma radical mudança nos hábitos de consumo, com a particularidade de que o tempo passado na Internet através de um PC será reduzido de 95% (actualmente) para 50% nos próximos 5 anos, graças à proliferação do acesso à rede através de dispositivos alternativos ao computador, designadamente os telemóveis e consolas. Impressionante!

Portugal, que durante muitos anos viveu isolado, é hoje um dos países do mundo com maior taxa de penetração das novas tecnologias, seja quotidiano individual, empresarial ou na organização do Estado (e-gov).

Por esse planeta fora o Magalhães (com todos os seus defeitos) é considerado um caso de estudo e são muitos os governantes que desejam replicar esta boa prática, cujos efeitos na educação e nas competências digitais das futuras gerações serão visíveis apenas a médio prazo.

O futuro, pelo menos nesta área, apresenta-se animador, assim saibamos aproveitar as oportunidades!"


A peça da Sic Notícias.
publicado por Rui Correia às 16:46
link deste artigo | comentar | favorito

pesquisa

 

arquivo

nós

Dezembro 2012

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
31

t&d
t&d