Quinta-feira, 12 de Abril de 2012

teragrupamento ou não tera

 

Havia aquele tipo que tendo desde há anos uma comichão constante no pé esquerdo não conseguia desfazer-se dela. Um dia, desesperado, fartou-se, tirou a caçadeira do armário e disparou um tiro sobre o próprio pé. A comichão do pé esquerdo, como o próprio pé esquerdo, desapareceu. Uns meses mais tarde, a comichão voltou. No pé direito.

publicado por Rui Correia às 23:15
link deste artigo | comentar | favorito
3 comentários:
De Isabel a 13 de Abril de 2012 às 17:24

E que tal experimentar outra medicação? Com outra composição.
Tiro, não! É que só com uma perna ainda se está apto a dar aulas!
E se calhar sem as duas também.
De Rui Correia a 14 de Abril de 2012 às 03:51
De Vasco Tomás a 27 de Abril de 2012 às 19:12
Bom desafio hermenêutico! Ao pé da letra, não se percebe como é que o fulano aguentou e depois rebentou. Era sempre possível ir a um podologista, ou então a um psiquiatra, era capaz de ser alguma somatização de algum trauma infantil. Porque não tem ar de sem abrigo, tem os dentes bem polidos e está arreado com um pullover decente.
Excluindo a literalidade, desde Lenine se sabe o destino da doença do esquerdismo, temos fartos exemplares na nossa grei.
Resta concluir que o melhor é uma boa consulta de psicanalista, que pode ajudar a compreender as causas inconscientes do delírio, via da sua superação.

Comentar post

pesquisa

 

arquivo

nós

Dezembro 2012

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
31

t&d
t&d