Quarta-feira, 20 de Abril de 2011

level fortitú

Uma das canções que mais toquei nos idos de oitenta. O trabalho que isto tem para aqui é insuspeito e obrigou a muitas horas de suada solidão. Em todo o caso, é bom saber que estes tipos ainda mexem. E de que maneira. 

 

publicado por Rui Correia às 04:31
link deste artigo | comentar | favorito
3 comentários:
De Cão a 24 de Abril de 2011 às 14:32
Gosto destes gajos.
De Rui a 27 de Abril de 2011 às 20:30
Duas coisas para que te chamo a atenção: a reafinação do baixo no início e no fim do tema. E depois, uma linha de baixo sobre a qual é impossível cantar. Como é que este tipo faz as duas coisas ao mesmo tempo é impressionante, mas neste tema essa dificuldade é absolutamente exemplar. Eu sei. Já o tentei em tempos. Impossível. Uma impossibilidade humana. Exige dois cérebros funcionar em separado. Há talentos que.
... e depois a aparente simplicidade da estrutura, obedecendo a uma técnica que desde sempre me importou: a técnica KISS (keep it simple, stupid).
Ah... e o fender rhodes que lhe dá uma profundidade. ah e a linha de baixo a partir dos 4'05''. Ainda mais difícil. Sobre a qual ele canta, evidentemente.
De Cão a 28 de Abril de 2011 às 08:34
Eu dessas coisas não percebo mazé mesmo nada.

Comentar post

pesquisa

 

arquivo

nós

Dezembro 2012

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
31

t&d
t&d