Quinta-feira, 17 de Fevereiro de 2011

mercado de inverno

 

 

Discute-se hoje com alguma expectativa como reagirão as escolas privadas da cidade ao corte financeiro que as atingiu, depois de acordada a anulação do financiamento estatal de cinco turmas para as Caldas da Rainha até 2013/2014. Voltaremos a isso um dia destes, nomeadamente para estudar quem são os alunos que estas escolas irão minuciosamente enxotar.

 

Entretanto, há quem esfregue as mãos de contente com este corte. É que com a previsível redistribuição de alunos pelas escolas da cidade, talvez se possa esconder uma realidade indisfarçável e que contraria muitos anos de história da Escola Básica Integrada de Sto Onofre.

 

Ao consultar o roteiro das escolas do Ministério de Educação que apresenta dados de 2006-2007 (?) verifica-se que a minha escola possuía 597 alunos a frequentar os segundo e terceiro ciclos. Dados ainda patentes (?) no site oficial da EBI Sto Onofre exibem um total efectivo de 550 alunos no ano de 2009-2010. No final do primeiro período do ano lectivo 2010-2011 foram avaliados 517 alunos.

 

Ou seja, entre 2006 e 2011 abandonaram a EBI de Sto Onofre 80 alunos (!). Quatro turmas. Apenas no segundo e terceiro ciclos. E nada disto se explica com qualquer factor exógeno. É tudo muito endogenozinho.

 

Podemos argumentar que isto seja revelador da medíocre continuada inépcia na gestão da rede escolar que se abateu sobre esta escola. Por mim, o que me custa mesmo é ser obrigado a concluir que, ou os encarregados de educação não querem cá pôr os seus filhos, ou são eles mesmos quem, simplesmente, já cá não querem estar. E é apenas isto que dói.

 

Mas não querem estar cá por quê? Como se transforma uma escola de preferida para preterida? Diga-se o que se quiser, olhe-se por onde se olhe, o resultado concreto deste êxodo é que, em poucos anos, passámos de uma escola que recusou matrículas a excelentes alunos a uma escola com vagas e mais vagas para todos quantos não são bem-vindos noutras escolas e que são arguta e diligentemente proscritos para cá. E basta, para confirmar este facto, ver quem são os elementos que vão chegando de novo às turmas, naquilo que eu gosto de chamar "O mercado de Inverno".

 

Os reflexos que esta evasão causa na vida da escola, das turmas, dos alunos e dos professores, em matéria de motivação, integração, indisciplina, vandalismo, inovação, desempenho, abandono e desistência são imensos e imensuráveis. Pobre escola. Vê-la desfalecer dia após dia, é verdade que não mata, mas mói. E dói. Dói todos os dias.

publicado por Rui Correia às 16:25
link deste artigo | comentar | favorito
3 comentários:
De Sandra a 17 de Fevereiro de 2011 às 22:44
Dói muito, mesmo muito!
De Isabel a 18 de Fevereiro de 2011 às 17:59
Também penso que, salvo erro, temos menos 20 alunos no 1º ciclo da EBI de 2009- 2010 para 2010-2011, mas o mesmo número de turmas.
De Rui Correia a 19 de Fevereiro de 2011 às 14:32
Assim sendo, de 2009/2010 para 2010/2011 saíram da EBI 67 alunos. Como pode esta gente dormir tranquila?

Comentar post

pesquisa

 

arquivo

nós

Dezembro 2012

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
31

t&d
t&d