Quinta-feira, 13 de Maio de 2010

papem

Inspiradores e úteis os discursos de Bento XVI, que é o que de melhor se pode dizer de um orador.

 

Visite-se o site oficial do Vaticano que inclui todos os seus discursos por cá. Manoel de Oliveira, Cardeal Cerejeira (uma citação irrelevante sobre Fátima), Pombal, tem o papa a lição bem estudada sobre Portugal, mas é de sobremaneira relevante a inflexão substantiva que tenta suscitar sobre a Igreja. Inesperadamente, não discordo de quase tudo, gosto mesmo do que leio e, por isso mesmo, não creio que seja dada à política de Bento XVI qualquer oportunidade de sucesso. Alguns excertos das suas intervenções.

 

O ideal cristão da universalidade e da fraternidade inspiravam esta aventura comum, embora a influência do iluminismo e do laicismo se tivesse feito sentir também. A referida tradição originou aquilo a que podemos chamar uma «sabedoria», isto é, um sentido da vida e da história, de que fazia parte um universo ético e um «ideal» a cumprir por Portugal, que sempre procurou relacionar-se com o resto do mundo.

 

 

Por outro lado, a presença do secularismo não é uma coisa totalmente nova. A dialética entre secularismo e fé tem uma longa história em Portugal. Já no século XVIII há uma forte presença do Iluminismo, basta pensar no nome Pombal. Assim, vemos que Portugal viveu sempre, nesses séculos, na dialética que, naturalmente hoje, se radicalizou e se mostra com todos os sinais do espírito europeu de hoje. E, este me parece um desafio e uma grande possibilidade. Nesses séculos de dialética entre Iluminismo, secularismo e fé, nunca faltaram pessoas que quiseram estabelecer pontes e criar um diálogo, ainda que, infelizmente, a tendência dominante foi a da contraposição e da exclusão de um e de outro.

 

 

A viragem republicana, operada há cem anos em Portugal, abriu, na distinção entre Igreja e Estado, um espaço novo de liberdade para a Igreja, que as duas Concordatas de 1940 e 2004 formalizariam, em contextos culturais e perspectivas eclesiais bem demarcados por rápida mudança.

 

 

publicado por Rui Correia às 00:24
link deste artigo | comentar | favorito
3 comentários:
De Lúcio a 24 de Maio de 2010 às 18:03
Não é destituída de sentido a sua função de Sumo Pontífice - "O Mais Elevado Construtor de Pontes".

Cumprimentos
De Rui a 25 de Maio de 2010 às 10:06
Sumo que... bem espremidinho...
De Lúcio a 25 de Maio de 2010 às 13:23
... nada mais dará que sumo!

Comentar post

pesquisa

 

arquivo

nós

Dezembro 2012

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
31

t&d
t&d