Domingo, 2 de Agosto de 2009

bagagem

Um tipo esquece-se das chaves em casa. Quando volta, tenta entrar pela janela da sua casa. A vizinhança vê alguém a entrar pela janela e chama a polícia. A polícia vai lá e bate à porta. O tipo abre e a polícia faz perguntas. O tipo começa a dizer que está tudo bem. O polícia insiste em perceber se está mesmo tudo bem. O tipo começa a sentir-se incomodado com tanta pergunta e alega estar a ser assediado por ser negro. O polícia reage mal. O tipo afinal é professor em Harvard e amigo pessoal de Obama. "Você não sabe com quem se está a meter", ameaça. O polícia chama-lhe "uncooperative" e manda-o prender. Mais tarde as acusações são retiradas. Uma jornalista pergunta a Obama o que pensa ele disto. Obama diz que prender um tipo que mostrou a sua identificação e que provou estar em sua casa é "estúpido".

"Now, I don't know, not having been there and not seeing all the facts, what role race played in that, but I think it's fair to say, number one, any of us would be pretty angry; number two, that the Cambridge Police acted stupidly in arresting somebody when there was already proof that they were in their own home; and number three, what I think we know separate and apart from this incident is that there is a long history in this country of African Americans and Latinos being stopped by law enforcement disproportionately. That's just a fact."

A polícia reage mal à acusação. Obama chama os dois personagens para uma cerveja na Casa Branca.

E depois termina tudo, como tudo devia terminar, à volta de uma cerveja. Ou não?



Racismo e a bagagem que todos transportamos, numa peça interessante de Tammy Erikson sobre o incidente entre o sargento Crowley (formador em cursos de prevenção de conflitos raciais) e o professor Henry Louis Gates de Harvard aqui.
publicado por Rui Correia às 15:37
link deste artigo | comentar | favorito

pesquisa

 

arquivo

nós

Dezembro 2012

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
31

t&d
t&d