Sábado, 15 de Agosto de 2009

legado

guitarras.jpg


Fender Stratocaster e Gibson Les Paul. A primeira possui três captadores eléctricos de bobine simples (pickups single coil) que oferecem um som límpido, cristalino, estrepitante, a segunda utiliza captadores de bobine múltipla (humbuckers) e oferece um som mais encorpado, suave, sóbrio e grave. Quem já viu uma fotografia do Eric Clapton ou do Jimi Hendrix sabe o que é uma Fender Stratocaster. Quem já viu o Jimmy Page ou Pete Townsend sabe o que é uma Gibson Les Paul. A verdade é que fazem parte da nossa vida. Não exagero se disser que 70% de todas as músicas que ouvimos na vida, com guitarras eléctricas, incluíram um ou outro destes dois modelos. Em matéria de design, trata-se de objectos que os guitarristas preferem conservar inalterados desde há décadas.

Todo o guitarrista que pega pela primeira vez numa Les Paul ou numa stratocaster tem o sentimento de ter nas mãos uma herança gigante. Não é possível olhá-las sem respeito e compreendendo logo que, mal pegamos nelas, a coisa é a sério agora.
O legado de Les Paul (1915-2009), tal como o de Leo Fender (1909-1991), é imenso. Influenciaram toda a gente, mesmo quem nunca pegou numa guitarra. É, também por isso, uma pena o seu desaparecimento.

Mas saiba-se o seguinte: neste preciso momento, enquanto alguém lê este texto, um rapazinho, uma rapariga, algures no mundo, pega numa Les Paul pela primeira vez. Encontra-se num estado de inteiro esplendor. É um deslumbramento que se repetirá pelas décadas fora.

É um imenso legado de felicidade que todos gostaríamos de testar aos outros e que justifica uma vida inteira.
publicado por Rui Correia às 11:44
link deste artigo | comentar | favorito

pesquisa

 

arquivo

nós

Dezembro 2012

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
31

t&d
t&d