Terça-feira, 18 de Março de 2008

depois

staceykent.jpg

Ela gosta de dizer "Até já". Do som. Julga que é uma palavra só. Eu já andava de amores com os vídeos que dela vira. Sobretudo por cantar bossa nova em francês que é coisa a que simplesmente não sei resistir. Depois ouvi mais três ou quatro temas do seu último cd e achei-os lindíssimos. Depois soube que vinha a Alcobaça. Depois fui ver. Depois chamei amigos meus para virem comigo. Depois apareceram. Depois esgotámos a sala. Depois começou. Voz maravilhosa. Fresquíssima. Canta sorrindo. Sempre. Músicos sem chama. Muito abaixo do que a voz mereceria. Vai-se a ver. Nem sequer é a voz. É a candura. A inocência. O sorriso. A predilecção por cantar. Por estar ali. Todos a partilharam. O constante sorriso. A sinceridade. A simpatia. No final veio ao Foyer agradecer termos lá ido. Deu autógrafos sempre de olhos postos em quem a abordava. Atrevi-me a pedir-lhe que traga a guitarra da próxima vez. Depois parou a olhar para mim. Depois sorriu e disse que sim. Que traria. Depois agradeceu-me. Sorria, claro. Depois sorriu outra vez. Que noite de afecto. Fiquei-lhe. Afecto. Até já, portanto.
publicado por Rui Correia às 12:09
link deste artigo | comentar | favorito

pesquisa

 

arquivo

nós

Dezembro 2012

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
31

t&d
t&d