Segunda-feira, 14 de Setembro de 2009

ruínas

Estarrecimento. Foi com absoluta estupefacção que fiquei a saber, pela intervenção de Mário Pacheco na apresentação de ontem do programa 2009-2013 da candidatura do Delfim Azevedo, que parece haver gente, famílias inteiras, a viver nos silos abandonados de cereais da EPAC. Um edifício indigente, abandonado, de enorme interesse patrimonial, com memória, dá abrigo a famílias em igual estado de desabamento. Prédios em ruínas com gente dentro, em ruínas. É importantíssimo conhecer da verdade horrível desta situação. Mas, mais importante do que tudo o mais, saber desta verdade é saber como acolher e apoiar aquelas pessoas e não simplesmente ir a correr expulsá-las dali, por razões cosméticas ou desígnios de esteticista eleitoral. O que é feito do projecto de 2000, de Luís Urbano e Ana Pimenta, que a Lino & Santo – e muito bem - promoveu? Esse inédito concurso de ideias demonstrou que há um futuro viável, 14 futuros possíveis, para este imóvel . Mas um prédio é, como se sabe, um prédio. Que futuro viável - 14? - existe para estas pessoas?
publicado por Rui Correia às 14:12
link deste artigo | comentar | favorito
2 comentários:
De Rui a 15 de Setembro de 2009 às 13:51
Isso não EPAC ichamado
De Chien a 15 de Setembro de 2009 às 09:00
EPAC cena.

Comentar post

pesquisa

 

arquivo

nós

Dezembro 2012

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
31

t&d
t&d